21 de novembro de 2011 § Deixe um comentário

– Mas ninguém morre de amor – ela disse. – Você pode sofrer, e chorar, e sentir que seu coração está sendo picotado em mil pedacinhos, e depois atirado sobre o fogo. Vai doer, e pode doer muito. Mas você não morre. Você não ouve por ai gente dizendo ‘ah, ela morreu de amor’. Não dá. Isso te machuca, machuca muito. Mas passa. Como tudo na vida, entende?

As duas ficaram ali, no meio das lágrimas e do silêncio.

Onde estou?

Você está navegando em publicações marcadas com silêncio em o segundo sol.